September 25, 2019

Um Divórcio Doloroso

Escrito por: Fernando Quesada

Sabendo que o divórcio era o meu amargo destino e aceitando a minha separação da pessoa que eu mais amava acima de tudo quase me levou a morte...

article preview

Sabendo que o divórcio era o meu amargo destino e aceitando a minha separação da pessoa que eu mais amava acima de tudo quase me levou a morte. Esse sofrimento que eu quase não suportei eu enfrentei no meu segundo divórcio.

Mas hoje eu sou muito grato pela oportunidade de escrever e assim compartilhar a minha experiência, após me sentir tão próximo a morte, eu agora realmente aprecio cada segundo que tenho nesse mundo.

Descrever o episódio mais doloroso da minha vida em palavras é extremamente difícil. Foi o momento em que o meu mundo foi destruído, eu sentia que era uma catástrofe em minha vida, que os meus piores medos foram materializados e que era o fim da minha existência, onde a escuridão e o terror do inimaginável era a minha iminente realidade, sem a oportunidade de mudar o curso.

Homem gritando no escuro

Eu tenho certeza que ninguém está preparado para parar de amar da noite para o dia, e muito menos encarar as situações que podem levar ao divórcio.

No momento que essa situação chegou, o tempo parecia parar para sempre, separando o antes e depois na minha vida. A partir daquele momento o relógio recomeçou, mas cada segundo que passava parecia pesar e esmagar cada um dos meus ossos, os quebrando, e assim eu só tinha um pequeno suspiro de vida, para esperar o próximo minuto.

Pela primeira vez eu pude experimentar a solidão absoluta, a mais sufocante sensação de abandono que eu nunca havia sentido. E aquele eco mortal de “Porque?”. Foi como acordar no nada, sozinho e sem uma razão para viver, sem um abrigo ou uma porta para fugir.

Mas mesmo vendo meu casamento acabar, eu tinha que continuar a trabalhar e de alguma forma, eu tentei continuar. A primeira semana no trabalho eu lembrei que tinha parado de comer. Eu usava óculos escuros o dia inteiro e evitava conversas, pois a qualquer momento uma lágrima podia escapar e chegar ao meu apartamento era apenas a continuação do pesadelo, porque era o momento em que eu podia chorar sem me restringir, sem ter mais forças para conter as lágrimas e a dor, sem a possibilidade de ser capaz de dormir e muito menos descansar.

Homem preocupado, segurando sua cabeça nas mãos

Depois da semana sem dormir ou comer, eu estava certo do fato de que a minha morte poderia ser a minha única saída, eu comecei a sentir como alguns de meus órgãos estavam começando a sofrer uma perda de peso e a mudança na cor da minha pele não podia mais esconder o quão mau eu estava tanto internamente quanto externamente.

Porém, exatos 6 meses após eu me registrar para participar do curso especial chamado “Chakra 6”, eu lembro de ter chegado ao sétimo dia desde o recomeço da minha vida, e fui ao curso sem a força para dirigir, sem fome e nenhuma esperança.

Eu estava muito envergonhado por participar de uma conferência tão especial na minha condição, onde era impossível esconder minha dor, pois meu sangue, meu rosto e meu coração mostravam o meu sofrimento. Entretanto eu não tinha mais nada a perder e sentia que era apenas uma questão de dias até que o resto de vida que me sobrava sumisse, pois eu já tinha desistido de lutar.

O curso do Chakra 6 foi o mais difícil da minha vida, eu lembro que sentia a cadeira que estava sentado era uma prisão onde eu não conseguia me mover e sentia a fadiga do meu corpo que estava a uma semana sem dormir, eu realmente estava com dor. As 10 horas de curso foram um grande desafio, porque eu sabia que nada que eles dissessem eu colocaria em prática, porque após o curso eu não sabia se conseguiria seguir com a minha vida.

Como se não fosse suficiente, a minha mãe estava sentada há algumas fileiras atrás de mim, e eu não tinha contado nada para ela sobre a minha situação, mas quando ela me viu, percebeu o quão mau eu estava. A culpa de saber o sofrimento que eu causaria a ela somou em minha dor.

Hora após hora o curso foi passando, e com apenas três minutos restantes, a Jardinera falou comigo, disse algumas palavras, e em apenas 30 segundos devolveu a minha esperança.

flor crescendo de uma árvore derrubada

A Enseñanza foi um novo sopro de vida, assim a chama não pode ser extinguida. E mesmo sendo algo especial, foi apenas o começo de mais 9 meses de grandes batalhas que eu já lutei, onde o choro, a dor eo sofrimento me visitavam diariamente, mas com a única diferença de que agora eu queria viver, me curar e melhorar, seguir em frente, descobrir a mim mesmo e nunca me satisfazer com esse sofrimento.

MSF me mostrou que servir aos outros nos ajuda a curar a nós mesmos. O suporte que eles me deram foi crucial em alguns momentos, eu também agradeço a todas as pessoas que o universo colocou no meu caminho, as mensagens e a ajuda celestial manifestada dia após dia.

A experiência, como resultado do sofrimento que eu vivi, me fez descobrir que eu não posso parar de lutar nenhum dia, perdoar e enxergar a minha responsabilidade sem culpar ninguém. Isto foi vital para descobrir tudo o que eu podia fazer.

Eu não estava satisfeito em superar a dor que aqueles nove meses de tropeços e recaídas me levaram. Levantei-me com mais força, hoje tenho um ano e meio desde que nasci para minha vida maravilhosa.

MSF, junto com a minha vida, meu ambiente e minhas crenças, veio para me dar a oportunidade de servir e descobrir como é bonito poder ajudar de alguma forma aqueles que precisam, porque eu sei como é ser do lado de quem precisa.]

Fernando em um Curso Especial Israel

Junte-se à nossa rede de escritores e comparta seu conhecimento em nossa plataformaContribuir
Escreva seus comentários