January 06, 2021

Aprendiendo a me Amar

Escrito por: Anônimo

Você tem que ter coragem de viver, e é preciso mais coragem para VIVER do que deixar ir e usar uma solução covarde, e para todos aqueles que silenciosamente tiveram esses mesmos sentimentos: sempre há uma saída do túnel. às vezes apenas 5 minutos é o suficiente!

article preview

Hoje me considero uma pessoa feliz ... descobri que a felicidade é uma decisão e por isso escolho acordar todos os dias com um sorriso, mas tem hora que aquele 'lobo negro' que dorme dentro de mim acorda e volto à adolescência, onde minha resposta a tudo era me machucar.

Quem me conhece agora não acreditaria, mas na adolescência fui uma pessoa fria, fechada, reservada, odiava o contato físico e me machucava. Já que não sabia controlar minhas emoções e 'odiava chorar', me machucar e me cortar era para mim a única saída, e se tornou uma droga.

olho

Na escola, eu ia furtivamente ao banheiro para me cortar com a lâmina do helicóptero, ou cravava minhas unhas até sangrar, ou às vezes levava um cortador comigo. Para que ninguém percebesse, ele sempre usava blusa de manga comprida ou suéter, mesmo quando fazia calor. Eu me machuquei por quase 5 anos e mesmo quando prometi que não faria mais isso, quando a raiva subiu à minha cabeça, ou as lágrimas, preferi me machucar antes de me sentir 'frágil' e vulnerável. O mais difícil é que existem mil maneiras de nos prejudicar.

Quando parei de me cortar, encontrei o álcool e a comida e me empanturraria de comida até querer vomitar e depois vomitaria e continuaria, mesmo agora, meu primeiro instinto quando tenho um ego ferido é querer me machucar, incluindo a decisão de me afastar de tudo e tudo até sentir que estou me afogando. A diferença entre meu eu adolescente e meu eu presente, a grande diferença, é que agora tenho uma ferramenta que há 10 anos não tinha: meditação ... Ainda há em mim uma garota de birra que precisa de atenção, a garota que quer engolir suas emoções, em vez de ter a humildade de gritar e pedir ajuda, mas tenho uma ferramenta que a mantém longe do volante.

saldo

Graças a Enseñanza e à Jardinera, hoje descobri que quando sinto que estou me afogando, que não vejo a luz no fim do túnel, às vezes basta parar por 5 minutos, respirar fundo e meditar, lembrando que sempre há solução quando você tem a mente clara e uma boca para falar e expressar o que sinto. Não estou dizendo que seja uma varinha mágica que resolve todos os problemas de uma vez, mas eles me ensinaram que é um grande ato de humildade pedir ajuda e que em nós está a consciência e a coragem para não alimentar o lobo negro. Portanto, mesmo que às vezes me custe, estou mais ciente de que tenho o poder de pedir conselhos, de meditar e clarear minha mente, de buscar as ferramentas que me devolvem ao meu estado de 'equilíbrio'.

Sei que não sou o único que já passou por isso, e que muitos adolescentes recorrem à automutilação para controlar suas emoções, e depois de tantos anos cometendo esse erro posso dizer com certeza que por mais que a tentação exista, não é uma cicatriz (ou uma ressaca, ou um estômago ruim) que nos fará sentir melhor. O que vai nos deixar calmos é sentar, mesmo por aqueles 5 minutos, buscar um pouco de clareza, liberar a emoção, dizer o que dói e nos irrita, gritar com o rio, jogar fora tudo que nos envenena por dentro.

Faça do ato de humildade e amor-próprio o mais simples, mas o mais difícil de tudo: Peça ajuda.

Você tem que ter coragem de viver, e é preciso mais coragem para VIVER do que deixar ir e usar uma solução covarde, e para todos aqueles que silenciosamente tiveram esses mesmos sentimentos: sempre há uma saída do túnel. às vezes apenas 5 minutos é o suficiente!

livro

Junte-se à nossa rede de escritores e comparta seu conhecimento em nossa plataformaContribuir
Escreva seus comentários