March 23, 2022

Do eu ao ser

Escrito por: Graziano Ongetta

Sobre o que falar? E como, sobretudo, se a sua fundadora nos diz que "na simplicidade há sabedoria"?

article preview

Escrevo este artigo de bom grado para Mãos Sem Fronteiras, (disseram-me para ser curto e não sei se vou conseguir, tenho o dom de síntese apenas nas coisas que não amo).

Sobre o que falar? E como, sobretudo, se a sua fundadora nos diz que "na simplicidade há sabedoria"? Seria fácil falar sobre mim, tentando o exercício de não ser excessivamente egocêntrico. Sou coxo de nascença e, se tem uma coisa que a prática de MSF (sim, para mim toda a associação é uma prática) me trouxe, entre muitas outras, é que quando você medita ninguém tem limitações, quando você faz um tratamento de Estimulação Neural, a técnica promovida pela Organização, não tem qualquer limitação.

Isso me leva a duas reflexões: qual é a mensagem central, para mim, dessa associação? Qual é o seu fundamento?

Ser o mesmo sendo diferente, porque tanto a meditação quanto a técnica te colocam em um estado de total igualdade e sob todos os pontos de vista. Você entenderá bem que, para mim que tenho uma limitação física inicial, isso é uma novidade absoluta, uma descoberta. Mas uma descoberta de quê? A descoberta do que dentro de nós não tem defeitos e, portanto, não há fisicalidade, o que as filosofias orientais chamariam de EU superior, que de fato é alcançado através da meditação, segundo essas correntes.

Mas, MSF traz uma novidade absoluta, um risco, uma responsabilidade que para a mente ocidental é impensável: ou seja, uma técnica onde não há eu, mas apenas o EU que está dentro e que a física atual nos diz ser composto de energia. - o mesmo que as lâmpadas, para que entendam melhor.

O que essa técnica faz? Não só lhe diz que você é o mesmo, que você não tem defeitos, mas que você é um meio, porque por cinco minutos qual é a energia dentro de você, que o compõe, e que faz você ter 36 graus de temperatura média , irá estimular, pelas mãos, mais precisamente das pontas dos dedos, e irá re-harmonizar quem está recebendo esse tratamento que, por natureza, não pode ser falha. Isso sendo real, tem efeitos reais.

Que?

Como cada um é composto de energia, cada um tem uma frequência. Dependendo de como estamos no plano físico, essa energia terá efeitos diferentes, como é normal: um determinado potencial corresponde a uma data atual e para cada um significa sentir fisicamente diferentes efeitos.

Mas eu também estava falando sobre um risco e uma responsabilidade. O risco é de duas naturezas, uma egóica, ou seja, eu tenho essa coisa e você não. Portanto, quem o conhece é válido e merecedor e quem não o conhece não o é - é algo que acontece em todos os grupos e é uma reação humana como a de criar a habitual dinâmica de competição de valor dentro do próprio grupo. Nada de novo, eu diria - e o outro risco é não acreditar realmente que essa técnica funciona só porque você não consegue ver nada. O que é como colocar as mãos sobre uma mesa em vez de sobre uma pessoa, pois agora está estabelecido por muitas partes que pensamento, palavra, trabalho, corpo, nada mais são do que estados diferentes da mesma energia.

Quanto maior a frequência, menos densa e, portanto, visível, quanto menor a frequência, mais visível e física ou condensada - como dizem os bons. Como nosso olho é usado apenas para ver certas frequências, as mais altas não as veem, e a mente diz: "O que eu não vejo não está lá", não existe. Já que, como muitos mestres ensinam, estamos identificados com a mente, acreditamos no que ela diz, e se ela diz que o que você não vê não está lá, para o ego essa coisa não está lá. Pena que o vento, porém, não se vê e vai para onde quer, e o que vemos são os efeitos. Aqui esta técnica é comparável ao vento, você não vê para onde ele vai, você vê o que ele faz.

E qual é finalmente a responsabilidade que mencionei anteriormente? Outro tipo de energia, ainda maior: a da Fé, o que é a fé? É acreditar sem ver. Disseram-me: "se tem uma coisa que essa técnica pode dar, é isso: você não vê, mas vê os efeitos". Então talvez seja você - mas isso não pode ser porque a técnica funciona para e com todos, e então não é você, mas é algo que está diante de você, dentro de você, além de você e que age de graça, porque é livremente dado a todos sem distinção. Isso significa que essa técnica é a possibilidade de ver, por meio de seus efeitos, o que cada pessoa pode fazer quando colocada em estado de paz interior, de igualitarismo, de silêncio da mente.

Essa é a possibilidade real e concreta de ver a fonte de onde todos viemos e voltamos, em ação sobre nós, através de nós, que - como se fosse um acelerador - a Fé, consciente dessa presença em nós atua, com doce poder , e harmonia silenciosa, coisas que me fazem pensar apenas no Amor impessoal.

Junte-se à nossa rede de escritores e comparta seu conhecimento em nossa plataformaContribuir
Escreva seus comentários